Category Cultura

QUE PAÍS É ESTE? – Affonso Romano de Sant’Anna

Circula na Internet o fac-simile deste poema publicado no “Jornal do Brasil” (Rio de Janeiro) no domingo, 6 de janeiro de 1980. E porque tenho especial admiração pelo autor facilito-vos a leitura do poema que se mantém actual. QUE PAÍS É ESTE? 1Uma coisa é um país,outra um ajuntamento.Uma coisa é um país,outra um regimento.Uma […]

Duas Pátrias – José Martí

Duas Pátrias Duas pátrias eu tenho: Cuba e a noite. Ou as duas são uma? Nem bem retira sua majestade o sol, com grandes véus e um cravo à mão, silenciosaCuba qual viúva triste me aparece. Eu sei qual é esse cravo sangrento que na mão lhe estremece! Está vazio meu peito, destruído está e vazio […]

Se Eu Tivesse Um Chicote – JOAQUIM LAGOEIRO

Se Eu Tivesse Um ChicoteSe eu tivesse um chicotechicote de fios de açoeu nem sei o que fariamas não fazia o que faço! Certos homens que eu conheçosem alma e sem vergonhaveja você, suponha:se eu tivesse um chicote!… (Posso vir a construí-lode fino, profundo traço!),mas se eu tivesse um chicotechicote de fios de aço Homem […]

Pequeno Bilhete de Exílio – Carlos Maria de Araújo

Pequeno Bilhete de ExílioSe tua noite fosse a minha noitee meu fosse o teu diase teu caminho fosse o meu caminhoe tua casa a minhase teu pão e teu sal fossem os meuse teu fosse o meu vinhonão choraria as lágrimas que choroe a saudade não me queimaria.Quando a tua vida começameu amigoeu morro a […]

Poema para Galileu – António Gedeão

Poema para Galileu Estou olhando o teu retrato, meu velho pisano, aquele teu retrato que toda a gente conhece, em que a tua bela cabeça desabrocha e floresce sobre um modesto cabeção de pano. Aquele retrato da Galeria dos Ofícios da tua velha Florença. (Não, não, Galileu! Eu não disse Santo Ofício. Disse Galeria dos […]

«A vida» – Marcos Ana

«A vida» Digam-me como é uma árvore. Digam-me o canto do rio quando se cobre de pássaros. Falem-me do mar, falem-me do aroma aberto do campo, das estrelas, do ar. Recitem-me um horizonte sem fechadura e sem chaves, como a cabana de um pobre. Digam-me como é o beijo de uma mulher. Dêem-me o nome […]

Rimas – Manuel Maria Barbosa du Bocage

Rimas P’ra que viva a cozinheira, que tão boas papas fez, confesso por esta vez que bem me sabe e me cheira. O Papa em sua Cadeira vestido de estolas e capas não faz cousas tão guapas; A cozinheira faz mais; O Papa faz Cardeais, a cozinheira faz papas. Manuel Maria Barbosa du Bocage Este […]

Dona abastança – Manuel da Fonseca

  Dona abastança INSTRUMENTAL “A caridade é amor”Proclama Dona AbastançaEsposa do comendadorSenhor da alta finança. Família necessitadaA boa senhora acodePouco a uns a outros nadaDar a todos não se pode. Todo o que milhões furtouSempre ao bem-fazer foi dadoPouco custa a quem roubouDar pouco a quem foi roubado. Já se deixa ver que não pode […]

Primavera Cinzenta – Daniel Oliveira

Primavera Cinzenta Das nuvens, tempestade de uma primavera cinzenta,Emerge um dos triunfos de nossa civilização tecnológica:Um ser de metal de oitenta toneladas,Imune aos raios e às rajadas de vento Das mãos firmes do piloto,Partem os comandos precisosPara que o A320 rasgue os céus,E encontre a bonança Segundos antes,Uma poltrona à frente, em diagonalUma jovem chora […]

ESTAR OU NÃO ESTAR – Fernando de castro branco

ESTAR OU NÃO ESTAR Deus nem sempre dorme. Como os homens preza o seu momento eterno. Às três da manhã segue no rasto da minha insónia e abre-me os céus como quem escancara as portas da casa a um velho amigo. Deus existe, mesmo no chão é possível tocar-lhe. Deu-nos o vómito e a náusea, […]