Venezuela luta contra o bloqueio do Império e dos seus vassalos

As operações financeiras mais bem-sucedidas da Venezuela nos últimos anos não ocorreram em Wall Street, mas em campos primitivos de mineração de ouro no Sul do país. É assim que começa um trabalho da Reuters sobre o elevado número de “caçadores de fortunas”, estima-se que cerca de 300 mil, que se dirigiram à área rica em minerais da floresta, criando “minas improvisadas”.
“As suas pás e picaretas estão a ajudar a sustentar o governo esquerdista do presidente Nicolás Maduro”, avança a agência, referindo que, desde 2016, e de acordo com os dados mais recentes do banco central do país, o Estado já comprou 17 toneladas do metal, no valor de cerca de 650 milhões de dólares (573 milhões de euros) aos chamados mineiros artesanais.
O ouro comprado aos novos mineiros é pago na moeda nacional, o bolívar, fortemente desvalorizado, e é depois utilizado como moeda “forte” para pagar a importação de alimentos e produtos de higiene, conseguindo, dessa forma, contornar as sanções e o bloqueio comercial que pretendem forçar a marcação de eleições .
No entanto as ameaças arrogantes  do império continuam :
Ainda recentemente, John Bolton, conselheiro de Segurança Nacional da Casa Branca, lançou um aviso no Twitter “aos banqueiros, negociantes e facilitadores”, apelando a que “não negoceiem em ouro, petróleo ou outros recursos naturais roubados do povo venezuelano pela máfia de Maduro”.

Este artigo encontra-se em: FOICEBOOK http://bit.ly/2DxMQ76

Anúncios