Coreia do Norte: ignorância, maldade ou estupidez? (2)

O boom de construção em Pyongyang. Está a Coreia do Norte a derrotar as sanções?

O autor é forçado objectivamente a reconhecer que: 1) O desenvolvimento económico do país é pujante;   2) A política do imperialismo de agressão económica através de sanções, assim como de intensificação de provocações militares, revelou-se um fracasso total. O boom de construção reflete t o necessário aumento de bens de produção e de consumo.
Tal como o alto nível técnico e científico atingido pelos trabalhadores da RDPC graças ao seu sistema educativo e de planificação central. O texto é um desmentido categórico à desinformação papagueada nas TVs e jornais.

Trump, na Coreia do Norte estará a assassinar seres humanos! por Andre Vltchek http://bit.ly/2whmS3A

O Ocidente já matou milhões de norte-coreanos. Quantos mais devem desaparecer, só por recusar render-se? Qual é o preço a pagar por não aceitar servir o Império? Vai ser 1 milhão, 10 milhões ou mais? Dêem-me um número, por favor. Você é um empresário, afinal de contas, anuncia o seu valor de vendas com toda a honestidade!

A RPDC nunca atacou ninguém. Os Estados Unidos, que agora dizem “sentir-se ameaçados”, atacaram dezenas e dezenas de países, roubaram milhões de pessoas, suas vidas, sua liberdade e democracia, suas culturas, por todo o mundo.
Não creio que a maioria das pessoas da Coreia do Norte tenha medo. Somente aqueles que estão dispostos a cometer assassinatos em massa, de novo e sempre, em todo o mundo, agora estão com muito medo. Pelo menos inconscientemente, pelo menos na sua própria essência, assim como na sua própria loucura.

A Comissão da Verdade e Reconciliação. Os EUA realizaram massacres de civis

Segundo conta a maioria dos livros de história, a guerra da Coreia começou com a invasão do Sul em 25 de junho de 1950 pelo Norte comunista. Os EUA amantes da liberdade vieram em auxílio da democrática República da Coreia (RK) ameaçada. A realidade foi muito diferente.
Estão a ser investigados1 200 incidentes de execuções em massa além de 215 casos em que o exército americano esteve diretamente envolvido em execuções. Mais de 150 valas desenterradas até agora.
É reconhecido que as suas forças armadas, polícia e paramilitares mataram mais de 100 000 civis, porém os números podem ser tão elevados como 200 000 pessoas, números que não incluem as execuções extrajudiciais durante a guerra pelas tropas fantoche da RK.
Num relatório da CIA, da época diz-se que uma “grande percentagem de sindicalistas e dirigentes sindicais juntaram-se ao EPC. Kim Il Sung tinha exortado as pessoas a organizarem-se eles próprios. Assim, foram formados Comités do Povo que procederam à apreensão de propriedades japonesas e do governo da RK, bem como dos mais ricos. As unidades do EPC no sul distribuíram arroz ao povo e esvaziaram as prisões de presos políticos, que então se viraram contra a polícia e os grupos fascistas. Tropas do EPC em aliança com camponeses realizaram uma reforma agrária.

Este artigo encontra-se em: FOICEBOOK http://bit.ly/2vKVOvw

Anúncios