A ironia como arma

Julian Assangeaconselha Maduro a adotar a Constituição da Arábia Saudita para agradar a Trump.
Na sua publicação anual, a Freedom House avaliou a Arábia Saudita com as mais baixas qualificações quanto a liberdades civis e políticas.
– Não há eleições nacionais, nem partidos ou parlamento.
– A critica é estritamente proibida, p. ex. o bloggerRaif Badawi recebeu as primeiras 50 chicotadas de um total de 1000 por pedir liberdade de expressão.
– Os castigos infligidos vão desde o corte de mãos e pés por roubo, chicotadas por adultério e outros delitos que podem chegar à decapitação.
– Crê-se que 87 pessoas foram decapitadas o ano passado o que corresponde à média anual dos últimos cinco anos.
 
E é neste quadro bárbaro que Christine Lagarde considera este rei “um firme defensor das mulheres, embora discreto” (as mulheres estão proibidas de conduzir), e Tony Blair diz que é “um modernizador hábil, que leva o seu país para o futuro”. Ver mais (AQUI)
MAS, MAU, MESMO MAUZÃO É O MADURO!

Este artigo encontra-se em: as palavras são armas http://bit.ly/2vjeNh8

Anúncios