A memória e os incêndios

[pintura de Oswald Guayasamin]

De tempos a tempos é salutar dar um puxão de orelhas à memória e recordar p. ex. os incêndios pós Revolução de Abril onde em cada fagulha se fazia crer que estava a diabólica mão de um comunista, e o embuste pegava e Mário Soares fazia coro com os bombistas desde há muito oficialmente identificados.
O esquecimento é uma arma que destroça o passado e barra-nos o caminho para um futuro de liberdade.
 [pintura de Oswald Guayasamin]
Tudo o que a CIA fez foi sob o meu comando. Qualquer acção que possa ter desenvolvido destinava-se a executar a política dos EUA, que era apoiar as forças democráticas em Portugal. A CIA era parte da equipa [da embaixada] e eles faziam o que lhes mandava. Frank Carlucci

Este artigo encontra-se em: as palavras são armas http://bit.ly/2h8ZdyC

Anúncios