PSD continua a querer usar mortes nos fogos – e ainda não foi desta que acertou

Conferência de líderes vai discutir pedido do PSD, entretanto esvaziado de conteúdo. O PSD apostou tudo na exigência de publicação da lista de mortos no incêndio de Pedrógão do mês passado, requerendo uma reunião de urgência do Parlamento. Menos de cinco horas depois, a lista era divulgada sem novidades. O recém-eleito líder parlamentar do PSD, Hugo Soares, entrou de forma triunfal nas suas novas funções, ao lançar um ultimato ao Governo logo na sua primeira semana. Na segunda-feira, deu 24 horas para que fosse divulgada uma lista com os nomes dos falecidos no incêndio de Pedrógão Grande, no mês passado. Nos dias anteriores, foram várias as notícias que surgiram com números diferentes do que foi oficialmente indicado (64 mortes). A somar a estas, só um caso foi sinalizado, de uma mulher atropelada quando fugia das chamas. A informação estava em segredo de justiça, já que decorrem diligências judiciais. Apesar de o Executivo já ter reiterado que não lhe cabia a revelação dos nomes das vítimas, o ultimato foi levado até ao fim e Hugo Soares agendou uma conferência de imprensa para ontem, a meio da tarde. Após a presidente do CDS-PP, Assunção Cristas, ter falado de uma hipotética moção de censura, chegou […]

Ler artigo em: PORTUGAL / BRASIL – elcomunista.net http://bit.ly/2vJFrNk

Anúncios