Denúncia da FSM frente às ações da transnacional PepsiCo na América Latina

A Federação Sindical Mundial (FSM) que reúne mais de 92 milhões de trabalhadores em 126 países de todo o mundo denuncia para a comunidade internacional as manobras anti-trabalhistas que a empresa PepsiCo, como em todos os continentes, implementa também na América Latina, especialmente na Colômbia e Argentina.

Os empresários dessa empresa na Argentina, sob o pretexto de “logísticas e produção”, decidiram fechar a fábrica Vicente Lopez, da localidade de Florida em Buenos Aires, em 20 de junho passado, o que ocasionou a demissão de 691 trabalhadores. A resposta do Governo às reivindicações tem sido a repressão contra os manifestantes. Ao mesmo tempo, as práticas anti-trabalhistas não são alheias à direção da empresa cuja filial na Colômbia, nas fabricas de Bogotá e Funza Cudimarca, seguem violando os direitos trabalhistas, transgredindo sistematicamente o livre direito a associação sindical e assediando os trabalhadores sindicalizados.

Não nos estranham práticas assim, que são muito comuns entre os capitalistas que somente querem maximizar seus lucros. A FSM e o movimento sindical internacional classista seguirão firmemente ao lado de todos os trabalhadores e trabalhadoras da América Latina e do mundo até a satisfação das suas necessidades contemporâneas.

Solidariedade com os companheiros trabalhadores da PepsiCo!

A Secretaria

Este artigo encontra-se em: WFTU http://bit.ly/2uWW5er

Anúncios