26 de Julho – Marco Histórico da Revolução Cubana

26 de Julho de 1953

Primeiro marco histórico da Revolução Cubana liderada por Fidel Castro

Cumprem-se hoje 64 anos sobre aquele dia em que 166 jovens cubanos, no intento de derrubarem o ditador Fulgêncio Batista e libertarem o seu povo da afronta e opróbrio a que a desumana ditadura o submetia fizeram o assalto ao Quartel Moncada, em Santiago de Cuba e ao Quartel Carlos Manuelde Céspedes, em Bayamo.

A operação foi um desastre e a maior parte dos jovens assaltantes foi assassinada -e dizemos “assassinada” porque muitos deles foram baleados depois de terem sido presos.

Fidel Castro foi julgado e condenado a 15 anos de prisão, mas a sua defesa em tribunal (mais tarde publicada no livro “A História me absolverá”) constituiu um verdadeiro libelo acusatório contra o regime da tirania de Batista, ao mesmo tempo que continha todo um programa da luta revolucionária que, efectivamente, cerca de 3 anos mais tarde se iniciou na Sierra Maestra e saiu vitoriosa em 1 de Janeiro de 1959.

O caso é que embora condenado (em 1953) a 15 anos de prisão, Fidel Castro e os demais jovens presos com ele, graças à imensa campanha internacional a favor da sua libertação foram efectivamente libertados em 1965.

Foi então criado o Movimento Revolucionário 26 de Julho (M-26-7)

Exilado no México com outros companheiros foi lá que Fidel conheceu Che Guevara que, apesar de ser argentino, se juntou ao grupo e integrou os combatentes que a bordo de iate “Granma” desembarcaram em Cuba em Dezembro de 1956 para iniciarem a gesta da guerrilha revolucionária na Serra Maestra, que logrou sair vitoriosa em 1 de Janeiro de 1959.

A AAPC saúda o 26 de Julho e homenageia os heróicos e abnegados combatentes revolucionários que libertaram Cuba e o seu povo da opressão a que estavam submetidos.

A Direcção

Ler artigo em: Associação de Amizade – Portugal/Cuba: Home http://bit.ly/2h34sjd

Anúncios