Incêndio de Pedrógão obriga a rever modelos de gestão e combate

Duarte Caldeira defende revisão urgente. O ex-presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses Duarte Caldeira defende que é preciso «reavaliar urgentemente» o sistema de gestão das operações de combate, o modelo de formação e de protecção civil devido às alterações do comportamento dos incêndios florestais. «A partir de 17 de Junho [dia em que deflagrou o fogo em Pedrógão Grande] é preciso revisitar o sistema de gestão de operações, o modelo de formação e o modelo de protecção civil, porque ficou dramaticamente evidente que há hoje uma forma e um comportamento do incêndio que exige ser estudado e pensado», disse à agência Lusa o colaborador do AbrilAbril Duarte Caldeira, que é actualmente presidente do Centro de Estudos e Intervenção em Protecção Civil (CEIPC) e coordenador do curso em Emergência e Protecção Civil da Universidade Nova de Lisboa. O investigador na área da protecção civil considerou que é necessário revisitar estas três dimensões, tendo em conta que «ficou claro que as condições que deram origem ao incêndio de Pedrógão Grande vão voltar recorrentemente a repetir-se». Nesse sentido, sustentou, que «é preciso reavaliar urgentemente» o sistema de gestão de uma operação de combate, o modelo de formação dos decisores operacionais (comandantes) e dos elementos das manobras (bombeiros). Estas são algumas das […]

Ler artigo em: PORTUGAL / BRASIL – elcomunista.net http://bit.ly/2tS0LOD

Anúncios