Entidades sindicais organizam atos no Brasil para denunciar bloqueio econômico dos EUA a Cuba

O secretário de Relações Internacionais da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) e secretário-geral adjunto Federação Sindical Mundial (FSM), Divanilton Pereira, realizou uma visita ao Consulado de Cuba em São Paulo, nesta terça-feira (4), para planejar as ações que serão realizadas no país contra o bloqueio político e econômico dos EUA à ilha caribenha – que este ano completou 55 anos.

A atividade irá inaugurar a Campanha Internacional de Solidariedade à Cuba que a FSM realizará no decorrer deste ano em todo o mundo. A data escolhida marca o início da Revolução Cubana quando os rebeldes fizeram o Assalto ao Quartel de Moncada em Santiago no dia 26 de julho de 1953.

A cônsul de Cuba em São Paulo, Nelida Hernandéz Carmona, apoiou a iniciativa. “Esta data é muito importante para o povo cubano”, declarou. Segundo ela, esta solidariedade internacional se faz necessária principalmente após as recentes declarações do presidente estadunidense Donald Trump que afirmou o cancelamento da política de aproximação dos Estados Unidos com Cuba, acordo firmado durante a gestão de Barack Obama.

Nelida destacou ainda a urgência do fim do bloqueio político e econômico contra Cuba e a devolução do território de Guantánamo – localizado a cerca de 800 quilômetros de Havana – onde os EUA mantêm uma prisão desde 2002.

No Brasil, as entidades filiadas e amigas da FSM realizarão ações nos consulados e na embaixada cubana em Brasília para denunciar estas ações e expressar sua solidariedade.

Este artigo encontra-se em: WFTU http://bit.ly/2t8QCN2

Anúncios