BES foi rei das transferências para paraísos fiscais até à queda

Registo informáticos dos Impostos só guardaram 4% do valor total, entre 2012 e 2014. Mais de 90% das transferências do BES para offshore, entre 2012 e a falência do banco, desapareceram dos registos do Fisco. O activo da instituição reduziu-se em cerca de 8 mil milhões de euros nesse período. De acordo com a edição de hoje do Público, 96% das transferências comunicadas pelo BES à Autoridade Tributária (AT) nos anos de 2012, 2013 e 2014 desapareceram do sistema informático, e, por isso, não foram alvo de controlo. O total ascende a 7917 milhões de euros, um valor idêntico à redução no activo do banco durante o mesmo período, que a 4 de Agosto de 2014 foi transformado em Novo Banco, após a injecção de 4,9 mil milhões de euros pelo Fundo de Resolução, 3,9 mil milhões pelo Estado. As contas do jornal foram feitas cruzando os dados do relatório da Inspecção-Geral de Finanças (IGF) e a informação avançada pelo Jornal Económico, que dá como certa a proveniência da maior parte das transferências: o BES. Apesar de o banco ter comunicado à AT transferências no valor de 8246 milhões de euros, apenas 329 milhões ficaram registados. O valor em falta representa cerca de 80% […]

Ler artigo em: PORTUGAL / BRASIL – elcomunista.net http://bit.ly/2uDj63p

Anúncios