Reforma trabalhista: Centrais aumentam pressão sobre senadores

A Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) e a Central Única dos Trabalhadores (CUT) afirmaram após aprovação, nesta terça-feira (4), do regime de urgência para votação da reforma trabalhista no Senado, que não haverá trégua aos senadores. Foram 46 votos a favor e 19 contra o regime de urgência. A expectativa é que a reforma trabalhista seja votada no dia 12 de julho. “A aprovação do pedido de urgência na votação da reforma trabalhista demonstra a pressa em que o ilegítimo governo Temer, denunciado por corrupção, e sua tropa de choque pretendem atuar para retirar os direitos trabalhistas”, denunciou o presidente da CTB, Adilson Araújo. De acordo com ele, esta é uma semana “para fazer muito barulho” especialmente nas bases eleitorais dos senadores. “É preciso alertar que quem votar contra a classe trabalhadora nunca mais vai ser eleito, pois os trabalhadores e trabalhadoras brasileiras não perdoarão aqueles que lhes roubarem o futuro. Na semana que vem, todos ao Senado”, convocou Adilson Araújo. A direção da CUT também orientou as bases em todos os estados para que pressionem os senadores. O Projeto de Lei da Câmara (PLC) 38/2017 será votado no plenário em votação decisiva e final. A central […]

Ler artigo em: PORTUGAL / BRASIL – elcomunista.net http://bit.ly/2sHvYYX

Anúncios