Aliados de Temer já admitem que será difícil barrar denúncia na Câmara

Para tentar se manter no poder, Michel Temer utiliza das mesmas cartas que o levou ao governo, no entanto, a situação que ele enfrenta agora é completamente diferente. Com uma rejeição recorde (84% segundo pesquisa do Instituto Ipsos) e mergulhando em denúncias, o governo não conta com a base aliada e enfraquecido, não tem força para pressionar por apoio. O entra e sai no Palácio do Planalto é intenso. A discussão gira em torno da estratégia para barrar a denúncia da PGR, que chegou à Câmara dos Deputados nesta quinta-feira (29). De acordo com a colunista do G1, Andréa Sadi, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), teria dito a Temer que o ambiente para rejeitar a denúncia por corrupção passiva, como quer o presidente, é “difícil” e ainda não está garantido, como ventilam os ministros do governo. Os líderes do governo não escodem os métodos utilizados para tentar salvar o governo. Segundo Darcisio Perondi (PMDB-RS), disse em entrevista que os parlamentares fiéis ao governo terão tratamento generoso e os infiéis não. “Vai perder os cargos que o seu partido nomeou na base deste deputado. O governo vai usar os seus instrumentos de orçamento que tem dos programas do governo na […]

Ler artigo em: PORTUGAL / BRASIL – elcomunista.net http://bit.ly/2t06VyT

Anúncios