Portugal arde por (quase) todos os lados, ou, o fogo lento e as chamas vivas…

O título é antigo. E se aqui o trago é pela actualidade de coisas das quais pouco se fala e outras que até andam escondidas. É que não se chega a este ponto sem um percurso de criminosa inércia.
Dizem que a hora é de imensa tristeza.
Eu digo que a hora é de desesperada raiva.

Foto JFS/Global Imagens

Este artigo encontra-se em: CONVERSA AVINAGRADA http://bit.ly/2rA424P

Anúncios