GENTE SEM PORTE – António Bondoso

GENTE SEM PORTE
Temos um país suspenso
Em agonia de morte,
É já a Lei que se rejeita
Por certa gente sem porte.
E sofre mais quem não suspeita
Que essa gente percebe
E até promove
Traição infame, desonra e dor.
(Pag.19 em O PODER E O POEMA.2012.
Também em O RECOMEÇO (2014).Pág. 39

Este artigo encontra-se em: voar fora da asa http://bit.ly/2sanGIf

Anúncios