Sobre as mudanças nas leis eleitorais mas…

… guardando
a artilharia pesada

Parece que, por falta de melhor assunto, o PSD nas suas Jornadas Parlamentares do PSD decidiu repescar as ideias da redução do número de deputados e do voto preferencial. Como, por agora, não falaram nos famigerados círculos uninominais (sejam eles de candidatura ou de eleição), não vou hoje buscar aqui a uma estante a artilharia pesada que, desde há mais de 20 anos, tenho guardada para quando, e se, a batalha for a sério.
Mas como estas duas propostas do PSD deram logo origem a fórum da TSF onde se ouiram muitas das inanidades, superficialidades e sofismas do costume, não quero deixar de observar o seguinte:
Quanto à redução do número de deputados é bom que se saiba (é só ver o que aconteceu quando o seu número desceu de 250 para 230) que esta nunca afecta por igual todos os partidos mas sim, de forma mais acentuada e gravosa, os mais pequenos por causa dos efeitos do método de Hondt quando aplicado, como é o nosso caso, à escala de 18 distritos, 2 círculos de emigração e 2 Regiões Autónomas.
Já quanto ao chamado «voto preferencial» permito-me apenas reproduzir na íntegra o post que publiquei aqui em 20 de Outubro de 2014. Rezava assim: 
 
 

Este artigo encontra-se em: o tempo das cerejas 2 http://bit.ly/2qCus4I

Anúncios