Ontem aconteceram duas finais… e sei de qual gostei mais…

Entre as finais não há termo de comparação, são dois mundos diferentes. Não há mais nada em comum entre um palco e um estádio, para além de ambos serem cenários de um trabalho colectivo… de resto, mais nada.
Se não há mais nada que os distinga, não fará sentido enumerar as diferenças, pois são evidentes.
Por outro lado, falar de futebol é acrescentar ruído ao muito ruído que por aí vai e, depois de ter citado José Esteves e da actualidade do citado, só me apetece referir o que desde há muito ando a repetir: “o futebol é tão só e apenas a coisa mais importante de entre as coisas pouco importantes com que nos devemos preocupar”. 
Ganhou o meu SLB? Claro que embandeiro em arco, dá-me forte mas passa-me depressa…
Falemos então do GOT TALENT aquele concurso de formato marado que põe a concorrer artes e talentos diferentes. E que há para dizer?

“A arte e aquilo que a sustenta são as coisas mais importantes de entre as coisas realmente importantes com que nos devemos preocupar!”

Preocupemo-nos, então.

Este artigo encontra-se em: CONVERSA AVINAGRADA http://bit.ly/2qtxRY4

Anúncios