CGTP-IN solidária com a greve dos trabalhadores da função pública

greve nacional fp 26 maio

A greve dos trabalhadores da função pública no dia 26 de Maio, ao ter como objectivos o aumento geral dos salários, o descongelamento das carreiras, o fim da precariedade, o reforço de pessoal, as 35 horas para todos e a rejeição do processo de municipalização, constitui-se também como uma importante jornada em defesa dos serviços públicos e das funções sociais do Estado, razões pelas quais a CGTP-IN manifesta toda a sua solidariedade aos trabalhadores em luta.

Depois de anos em que o ataque às condições de trabalho – aos salários e aos vínculos, às carreiras e aos horários, andou de braço dado com a delapidação e degradação do serviço prestado às populações em áreas tão importantes como a educação e a saúde, a CGTP-IN considera que é tempo de acabar com as injustiças e de investir nesta frente, como forma de potenciar o desenvolvimento do país no respeito dos direitos individuais e colectivos dos trabalhadores e das populações.

Sem prejuízo da reversão de algumas medidas introduzidas pelo governo PSD/CDS, a verdade é que nem todas as malfeitorias foram definitivamente revertidas e muito menos se deram passos para compensar os anos de perda de poder de compra e de estagnação nas carreiras. Como agravante, o actual governo continua a impor as regras, violando os mais elementares princípios da negociação na Administração Pública, e a adiar a solução aos problemas com que os trabalhadores e os serviços se deparam, com prejuízos também para as populações.

A luta de dia 26 de Maio é uma luta pela resposta aos problemas dos trabalhadores da Administração Pública e dos cidadãos. Neste sentido a CGTP-IN reafirma a sua solidariedade aos trabalhadores e à Federação Nacional dos Sindicatos dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais e apela aos trabalhadores de todos os sectores de actividade, assim como às suas famílias para apoiarem esta luta, que é de todos e para todos, pela defesa das funções sociais do Estado e a melhoria dos serviços públicos prestados às populações.

Este artigo encontra-se em: Entrada – CGTP-IN http://bit.ly/2rU2DXo

Anúncios